O vinho da Monalisa

O vinho da Monalisa

blog2Não há obra de arte mais vista e discutida no mundo. Sua sala no gigantesco Museu do Louvre, em Paris, está sempre repleta com gente de todos os cantos aglomerando-se para admirar e reverenciar o quadro mais enigmático e famoso da história da humanidade, a Monalisa.

Aquele sorriso leve, obscuro, a pose recatada, o semblante algo que velado de uma figura feminina diante de uma paisagem sutil pintada em uma tela de madeira de álamo de apenas 77 x 53 centímetros reúnem detalhes que intrigam pesquisadores até hoje. Para tentar decifrar a obra do gênio Leonardo da Vinci, estudiosos foram atrás da pessoa retratada pelo artista.

Mais recentemente, um profundo estudo genealógico trouxe à tona uma nova relação da Gioconda, dessa vez com o vinho. Segundo documentos, Natalia e Irina Strozzi Guicciardini – herdeiras da Tenute Guicciardini Strozzi, produtora de vinhos e azeites na região de Chianti, mais especificamente na fattoria Cusona, em San Gimignano – descendem de Lisa Gherardini, sendo, provavelmente, a 15ª geração da família.

Como boa parte da população rica italiana (os Guicciardini e Strozzi são quase um império na Itália e possuem relações que remontam aos tempos de Maquiavel e dos Médici), Natalia e Irina possuem títulos de nobreza e, coincidentemente, estão no ramo das artes também, além de ajudarem a gerir a propriedade familiar que data do ano de 994. A primeira é bailarina clássica, a segunda, pianista.

A Italia Mais traz para o Brasil a linha de vinhos da vinícola Guicciardini Strozzi, e a grande surpresa é que em breve teremos as princesas aqui no Brasil para uma série de jantares harmonizados! Aguarde!

Reportagem da Revista Adega

blog3

Compartilhe