Vinhos de Famosos Esbanjam Doçura

Vinhos de Famosos Esbanjam Doçura

Em uma degustação às cegas de rótulos assinados por celebridades, e disponíveis ao mercado brasileiro, realizada pelo Caderno Paladar, profissionais do vinho elegem o Bocelli Sangiovese IGT como o favorito do painel*

SACA ESSA ROLHA  – Por Isabelle Moreira Lima

 

O que o ator norte-americano Brad Pitt, a cantora brasileira Paula Toller e o cantor português Roberto Leal têm em comum? Se você acha que são só as madeixas loiras e a fama, está enganado: cada um, a seu estilo, ocupa um espaço em prateleiras de lojas de vinho.

A ligação de Brad Pitt com seu vinho é tamanha que foi no château onde é produzido o rosé Miraval que ele se casou com Angelina Jolie em 2012. Quando foi anunciado o divórcio do casal, houve forte especulação sobre o destino do rótulo.

Já Paula Toller, célebre também por sua preferência por borbulhas, resolveu que era chegada a hora de ter seu próprio espumante. Junto ao enólogo Luís Henrique Zanini, da Vallontano, desenvolveu um charmat e o lançou com pompa no ano passado.

Com eles, uma profusão de outras celebridades entrou – e continua a entrar – no mundo do vinho. Entre os últimos anúncios está o da cantora Lady Gaga, que prometeu lançar em breve seu Grigio Girls.

Alguns se mostram bastante envolvidos com o negócio vitivinícola, como o diretor Francis Ford Coppola, que exerce a vida dupla há décadas; outros apenas emprestam um pouco de sua fama às garrafas. Intrigada pela ligação de famosos com o vinho, reuni oito rótulos disponíveis no mercado brasileiro para tentar descobrir o que oferecem ao paladar quando separados de sua origem famosa. Para isso, organizamos uma prova às cegas em que nem o tema foi revelado aos degustadores. Os participantes sabiam apenas que havia algo em comum entre os vinhos e, para poder avalia-los, foram informados de sua origem, castas e safra. Sugeri que respondessem à pergunta: gostariam de tomar este vinho em seu dia de folga, com seus amigos?

O painel reuniu oito rótulos do Novo e do Velho Mundo. Para degusta-los, convidamos os sommeliers Anna Rita Zanier (Vinum Est) e Gilmar Fernandes (grupo Rubaiayat) e o consultor Felipe Campos (Modi). A prova foi feita no Baby Beef Rubaiyat da Faria Lima.

Para além da resposta sobre o prazer oferecido por cada rótulo, os degustadores concluíram que os vinhos de celebridades são feitos com um alvo certeiro: os fãs dos famosos – e não o bebedor habitual de vinho. Chegaram a essa conclusão porque todos os rótulos do painel, invariavelmente, além de bem fáceis e beber, apresentam doçura maior que a habitual de rótulos semelhantes.

La Toller Brut – Origem: Vale dos Vinhedos, Brasil. Preço: R$ 88,50 na Mistral. Descomplicado e correto, este espumante com 75% de Chardonnay e 25% de Pinot Noir foi feito por Luís Henrique Zanini, da Vallontano, sob medida para a cantora Paula Toller, fã histórica de borbulhas francesas. Na prova foi bem: com uma pontinha a mais de açúcar, é vinho para festas e uma recepção de casamento, por exemplo, vai bem ainda como drinque de “boas vindas” acompanhado de petiscos variados. O preço no entanto, desanimou.

Miraval Rosé 2014 – Origem: Provença, França. Preço: R$ 98,99 na World Wine (promoção). O corte de Cinsault, Grenache Noir, Syrah e Rolle deste rosé é muito atraente no visual: o clássico casca de cebola. No nariz, deixa a desejar (falta fruta), mas surpreende na boca, é estruturado e tem acidez polida. Se o futuro da casa é incerto após a separação de Brad Pitt e Angelina Jolie, pode-se ter uma certeza: o 2014 não pode esperar mais nem um minuto na garrafa, está pronto para beber agora. Vai bem com vieiras frescas ou com uma salada niçoise.

Aldeia Leal 2015 – Origem: Trás-os-Montes, Portugal. Preço: R$ 24,90 no Extra Delivery. Produzido para o cantor Roberto Leal que foi hit no Brasil nos anos 1980, este é um tinto comercialmente esperto, que vai agradar os que não tem hábito de beber vinho. No nariz, sente-se groselha, amora, cereja e uma sobra de álcool, apesar de seus poucos 12%. Extremamente jovem, é um veludo puro na boca, leve e com bastante açúcar residual. Sozinha, essa doçura toda cansa. Melhor com carnes com molho mais elaborado, como o madeira.

Bocelli Sangiovese 2013 – Origem: Toscana , Itália. Preço: R$ 190,00 na Itália Mais. Este tinto toscano que leva o nome do tenor Andrea Bocelli foi o favorito do painel, festejado à primeira inspirada por seu “aroma de Itália” – traz ótima tipicidade, com notas de cereja fresca. Na boca, é muito equilibrado, tem boa acidez e adstringência, muita personalidade e pouco tanino. Em comparação a seus colegas de degustação, parecia o mais seco, mas uma análise mais minuciosa também aponta para mais açúcar que o padrão de Sangiovese. Vai bem com carnes magras e nhoque.

Carmel Road Monterey Drew´s Blend 2013 – Origem: Califórnia, EUA. Preço: 216,70 na World Wine. Este tinto feito na propriedade da atriz Drew Barrymore é para os amantes da vertente novo-mundista da Pinot Noir (ou seja, se você é um Borgonha-maníaco, evite). Aqui, o placar é: fruta dez, mineralidade zero. O estágio por oito meses em carvalho trouxe um toque de especiarias muito agradável. Na boca, é quente (tem 13,5% de álcool) e estruturado – mais potente que elegante. Prove com galeto com ervas ou hambúrguer com cebola caramelizada.

NDN Malbec Helios 2013 – Origem: São Joaquim, Brasil. Preço: R$ 79,90 na loja online da vinícola. Elaborado para comemorar os 30 anos da banda gaúcha Nenhum de Nós (mais conhecida por Astronauta de Mármore, versão de Starman de David Bowie), este tinto Malbec catarinense emana um curioso aroma de bala de café, além de um toque floral. Com pouca estrutura de boca, o que se sobressai aqui é a doçura e o álcool. Vale para os que buscam maciez e não se importam com uma dose extra de doçura. Casa com filé mignon e com chocolate.

Francis Ford Coppola Diamond Red Blend 2010 – Origem: Califórnia, EUA. Preço: R$ 332,64 na Ravin. De cor quase púrpura e com notas de ameixa seca, melaço e especiarias (canela, principalmente) este complexo corte tinto – 27% Zinfandel, 26% Syrah, 20% Petite Syrah, 15% Cabernet Sauvignon e 12% Merlot – da vinícola de Francis Ford Coppola é profundamente americano: estruturado, potente, com personalidade. Aos sete anos, está pronto para beber. Lindo par para costela ao molho barbecue e outros agridoces.

Bueno Paralelo 31 2013 – Origem: Campanha Gaúcha, Brasil. Preço: R$ 95,00 na loja online da vinícola. Com aromas de fruta negra madura (ameixa) e tabaco, o tinto do apresentador e locutor esportivo Galvão Bueno é marcado pela rusticidade. Produzido a partir de um corte de Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot, na boca tem bons taninos e acidez instigante. Peca por ser pouco complexo no aroma e pelo final excessivamente curto. Vale a pena harmonizar com pratos italianos como uma massa amatriciana ou lasanha e até com uma boa picanha.

 

*Fonte: O Estado de São Paulo – PALADAR – 23 de fevereiro a 1 de março de 2017

Compartilhe